DC's Legends of Tomorrow S01x10: Progeny | Crítica da Série 3
Séries e Tv

DC’s Legends of Tomorrow S01x10: Progeny | Crítica da Série

Se você tivesse a chance de matar Adolf Hitler antes que ele chegasse ao poder, o que faria?

DC’s Legends of Tomorrow está se tornando a minha série favorita nesse universo fantástico que a DC Comics criou para a televisão, e é difícil dizer isso porque sou um grande fã assumido do maior velocista que o mundo já viu. 

O episódio nos mostrou um pouco do futuro que todos idealizamos quando imaginamos como o mundo séria daqui 100 anos? Não aquela terra destruída, mas onde onde a tecnologia chegou a níveis impressionantes e tudo é muito cinza. Acho que ninguém pensa que o futuro pode ser mais colorido ou menos frio, mas ele combina muito bem com o garoto por trás do tirano. 

DC's Legends of Tomorrow -- "Progeny"-- Image LGN110b_0175b.jpg -- Pictured: Arthur Darvill as Rip Hunter -- Photo: Diyah Pera/The CW -- © 2016 The CW Network, LLC. All Rights Reserved.

DC’s Legends of Tomorrow — “Progeny”– Image LGN110b_0175b.jpg — Pictured: Arthur Darvill as Rip Hunter — Photo: Diyah Pera/The CW — © 2016 The CW Network, LLC. All Rights Reserved.

Per Degaton. O nome pode não dizer muita coisa, no entanto, ele está destinado a preparar o mundo para Vandal Savage tomar o poder. O fato de nosso equipe ter que lidar com alguém tão jovem, trouxe um dilema muito inteligente. Será que valeira apena matar um garoto para salvar o futuro? Para Rip, seria apenas um pequeno passo para salvar sua família.

Embora ache que o ator não seja muito bom, o roteiro ajuda a compensar isso. Na verdade, os roteiristas sabem compensar bem os erros da série, equilibrando o espaço dos personagens e introduzindo dilemas mais do que interessantes. Como eu disse antes, essa série vai muito além do que sua trama principal e consegue dar espaço o bastante para todo seu elenco, algo muito difícil de se fazer pelo tamanho.

O ator que dava vida ao jovem Per podia ter trazido um pouco mais de emoção ao personagem, mas eu achei interessante a sua dureza. Se eles queriam trazer alguém que se mostrasse implacável, ao mesmo tempo que era tão jovem, eles conseguiram. Aquele garoto era uma rocha e eu acreditei que ele poderia dominar todo o mundo.

Equilibrando bem o resto da trama, nós caminhamos para uma grande batalha, onde Ray descobre a verdade por trás de seu traje e chega um momento delicado em seu relacionamento com Kendra. Eu ainda espero que eles possam ficar juntos. Seria uma pena simplesmente jogar a química entre os dois fora.

DC's Legends of Tomorrow -- "Progeny"-- Image LGN110a_0241b.jpg -- Pictured: Brandon Routh as Ray Palmer/Atom -- Photo: Diyah Pera/The CW -- © 2016 The CW Network, LLC. All Rights Reserved.

DC’s Legends of Tomorrow — “Progeny”– Image LGN110a_0241b.jpg — Pictured: Brandon Routh as Ray Palmer/Atom — Photo: Diyah Pera/The CW — © 2016 The CW Network, LLC. All Rights Reserved.

O episódio foi um tanto emocional, algo inevitável com o retorno de Mick e o seu confronto eminente com Snart. Eu não podia esperar um final diferente. Será que eles fizeram a coisa certa? Pelo menos eles não se perderam.

Confira o promo de DC’s Legends of Tomorrow 1×11 “The Magnificent Eight”:

 [[youtube https://www.youtube.com/watch?v=Agesq45kBOs]]

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


DC's Legends of Tomorrow S01x10: Progeny | Crítica da Série 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Séries e Tv

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.