Atypical: 1° Temporada | Crítica da Série 7
NetflixSéries e Tv

Atypical: 1° Temporada | Crítica da Série

Netflix nos dá um novo olhar sobre um drama adolescente

Atypical mostra que a Netflix pode errar, mas ela ainda consegue nos dar ótimas produções quando tem grandes talentos fora e no olhar das câmeras, se bem que eu não esperaria menos de um showrunner que trabalhou em How I Met Your Mother e The Goldbergs.

Atypical: 1° Temporada | Crítica da Série 8

Atypical Season 1

Seguindo o adolescente autístico Sam Gardner (Keir Gilchrist) e sua família nada perfeita, somos apresentados a um drama que mistura muito bem seus momentos mais tensos com o humor negro que apresenta. Não são todas as séries que conseguem equilibrar esses elementos tão bem, mas isso se deve muito ao elenco.  

Keir dá um show de atuação. Você se convence facilmente de toda a dificuldade e problema do personagem, que é diferente dos padrões convencionais, apenas nos olhares e no jeito. A família tem uma química perfeita e é difícil não se envolver com cada um do seu próprio jeito.

Atypical: 1° Temporada | Crítica da Série 9

Atypical

A primeira temporada tem apenas 8 episódios, mas você termina querendo mais. Não serão muitos que verão Atypical – ou se quer saberão que existe -, no entanto, não tenho medo de dizer como ela mudou o jogo para muitas produções que lidam com dramas familiares

Atypical: 1° Temporada | Crítica da Série 10

Confira o trailer:

 []

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


Atypical: 1° Temporada | Crítica da Série 11


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Netflix

Leave a reply