Uma temporada que não conseguiu aproveitar todo o seu potencial

O final da quarta temporada de House of Cards com certeza deixou os fãs presos em seus acentos, querendo demais o quinto ano da série. Com as eleições chegando e Frank Underwood (Kevin Spacey) e Claire Underwood (Robin Wright) ameaçando começar uma guerra. O caos parecia que iria reinar quando casal mais poderoso e temido da Netflix voltasse.

Infelizmente não foi bem assim. Não vou dizer que não tivemos Frank manipulando as coisas daquele jeitinho que gostamos, nem bons personagens, afinal de contas, o elenco dessa produção é de dar inveja. O arco envolvendo Will Conway (Joel Kinnaman) tinha muito potencial e gostei de ver como o personagem não foi conseguindo lidar com a pressão do poder. O relacionamento que Claire teve com seu amante, Thomas Yates (Paul Sparks), e o final que teve será lembrando pelos fãs como um dos melhores momentos da série.

DSC09336.ARW

Uma pena que momentos assim não foram muitos. Com a saída do produtor e showrunner Beau Willimon, a série acabou sendo prejudicada e muito. Os novos showrunners decidiram por tirar bastante a produção da realidade com situações que não faziam muito sentido. É claro que House of Cards é uma obra de ficção, mas ela sempre fora tão incrível por saber brincar bem com os bastidores do poder, e vendo Frank fazendo coisas tão absurdas sem ninguém questionar foi um tanto decepcionante. Acho que não serei só eu a estranhar a revelação dele no final.

Mas não posso só condenar a série. Sua cena final conseguiu abrir grandes portas, além de certos aspectos que fizeram a série ser o que é hoje estarem lá, o grande problema mesmo foi a dupla de showrunners que colocaram. Eles não eram de longe tão bons quanto Beau. 

Deixe sua opinião aqui :)