The Originals 4° Temporada | Crítica da Série 6
Séries e Tv

The Originals 4° Temporada | Crítica da Série

Os Mikaelson mostram mais uma vez porque superaram sua série original

The Originals volta depois de um longo salto no tempo e um número reduzido de episódios, algo que há muito tempo os fãs pediam. Não é de hoje que os fãs das séries da CW gostariam de ver uma temporada mais reduzida que não precisasse enrolar tanto em tramas pouco interessantes. Mas será que os produtores sabem trabalhar com uma menor quantidade?

Bem, infelizmente não. Embora essa série continue melhor do que The Vampire Diaries, a série que deu origem a tudo, dá para ver como os roteiristas estão acostumados demais a trabalhar com um número grande de episódios.

The Originals 4° Temporada | Crítica da Série 7

O começo foi bom, na verdade, melhor do que bom. Klaus (Joseph Morgan), Elijah (Daniel Gillies), Hayley (Phoebe Tonkin), Marcel (Charles Michael Davis) e muitos outros retornam igual a como as coisas acabaram antes. Klaus se sacrificou por seus irmãos e Hayley teve que seguir sem a família Mikaelson par ajuda-la com Hope (Summer Fontana), que por sinal cresceu bastante. Eu gostei muito da atriz e o modo como a personagem se desenvolveu com seus pais.

The Originals 4° Temporada | Crítica da Série 8

É claro que os Mikaelson precisariam voltar e uma nova ameaça surgir. Uma mais antiga e poderosa do que o que Marcel tem dentro de si. Foi muito interessante o modo como eles conectaram o Hollow com a família de Vampiros Originais, embora eu tenha achado a atriz que interpretou a ameaça um pouco sem sal.

Acho que posso dizer que os produtores não aproveitaram por completo a redução de episódios. Por um lado, é ótimo para focar na trama principal e esquecer o resto, mas não vamos esquecer que estamos falando de pessoas que escrevem 23 episódios por temporada. O romance de Freya (Riley Voelkel) foi algo que ficou muito a desejar e não acrescentou em nada a trama. Parecia mais que colocaram alguém para ela apenas porque queriam colocar e não porque era preciso.

Mas ao todo eu tenho que dizer que eles acertaram e muito no desenvolvimento dos personagens e o que já tinha sido trabalhado antes sobre a importância da família para cada um. A temporada poderia ter tido alguns momentos mais impactantes, mas ela realmente é um bom acerto para esse universo e abre muitas portas que estou ansioso para ver no quinto ano.

The Originals 4° Temporada | Crítica da Série 9

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


The Originals 4° Temporada | Crítica da Série 10







Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Séries e Tv

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.