The Shannara Chronicles: 1º Temporada | Crítica da Série 3
Séries e Tv

The Shannara Chronicles: 1º Temporada | Crítica da Série

Um mundo de elfos, druidas, demônios e magia. 

Baseado na obra Terry BrooksThe Shannara Chronicles adapta o segundo livro da trilogia sobre esse mundo encantado e os guerreiros que tem que protege-lo. Como eu não li nenhum dos livros, irei opinar apenas sobre a série em si e não sobre a fidelidade com o material de origem.

Sem querer, os produtores Alfred Gough e Miles Millar (Smallville) acabaram fazendo o mesmo que J.J Abrams fez com o novo Star Wars. Muito tempo se passou desde que um destemido guerreiro, salvou os quatro reinos com uma espada e suas pedras mágicas. Desde então, as histórias envolvendo magia acabaram se tornando apenas lendas que uma nova geração teria que descobrir.

A história segue o filho desse legendário herói, Wil Ohmsford (Austin Butler), e último membro da linhagem de sangue Shannara, a princesa elfa Amberle Elessedil (Poppy Drayton), que tem a missão de proteger a árvore Ellcrys, e a humana Eretria (Ivana Baquero), uma menina que foi criada por ladrões. Juntos, eles terão que deixar suas diferenças de lados e ser os heróis que o reino precisa, agora que os demônios estão voltando ao seu mundo.

The-Shannara-Chronicles-Official-Trailer-1

Essa série pareceu muito para mim uma tentativa da MTV de ir no sucesso de Game of Thrones. As duas produções lidam com confrontos pela coroa e guerreiros tentando sobreviver a um grande mal, embora The Shannara Chronicles seja uma série mais para toda a família, ou seja, sem toda aquela censura 18 anos que dá aos produtores David Benioff e D. B. Weiss muito mais liberdade.

A história de Will é mais teen, tendo muitos momentos um tanto bobos no meio de cenários fantásticos. Nosso heróis se mostrava alguém um tanto bipolar. Numa hora, era enganado facilmente e na outra conseguia salvar a todos com os grandes poderes das pedras.

103_shannara_NA_86117826_984199.mov.mp4.00_23_12_07.Still019_edited

A série ao todo não teve toda aquela ambição que prometei, preferindo fazer algo bem mais leve e fácil de se interpretar. No entanto, eu vejo um certo potencial. Os últimos dois episódios tiveram a dose certa, se pensarmos em tudo que nos foi apresentado, e os personagens parecem estar no caminho certo. Teen Wolf continua sendo a série campeã da MTV, mas The Shannara Chronicles teve seu mérito. Eretria, por exemplo, foi a garota que roubou com certeza o coração de todos e eu quero muito vê-la de novo em meio a novos desafios.

shannara-chronicles-eretria

Um arco que não imaginei que iria acontecer, mas acabou me pegando de jeito foi o que envolveu o príncipe Ander Elessedil (Aaron Jakubenko). O príncipe festeiro e beberrão foi transformado em rei ao decorrer da temporada. Não foi algo que esperava, mas fiquei feliz com o modo como os produtores e o ator levaram isso adiante, mostrando-o unindo os povos e levando seu exército a batalha com grande maturidade. 

Ander2

Foi o arco que mais gostei. Talvez seja cedo demais para dizer isso, e espero não me arrepender, mas eu seguiria esse rei. Ele foi o que mais evoluiu ao lado do Allanon (Manu Bennett). Manu realmente sabe se entregar de alma aos seus personagens.

Espero que a MTV decida nos levar num segundo ano.

Shannara-Wil-and-Alanon-1200x651

Confira o trailer abaixo:

[[youtube https://www.youtube.com/watch?v=5z08NCqFe3E]]

*Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos

Ouça o último episódio do BurnCast:

Você pode ouvir BurnCast no Burn Book, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o BurnCast, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.


The Shannara Chronicles: 1º Temporada | Crítica da Série 4


Guilherme Cepeda
Guilherme Cepeda é podcaster, blogueiro e escritor. Pós-Graduado em Marketing e apaixonado por tecnologia e literatura desde sempre, em 2010 resolveu criar um blog para compartilhar sua opinião com os amigos. Jamais imaginaria que o projeto chegaria tão longe, tornando-se hoje o Burn Book, um dos maiores portais de literatura jovem do Brasil. Escreveu em co-autoria os livros da série Minha Vida, e em seu trabalho mais recente, já pela Editora Burn Books, publicou o conto “Estarei em Casa para o Natal” na antologia que leva o mesmo nome, também foi publicado em outras antologias pelas Editoras Wish, Villa-Lobos e Rouxinol. Guilherme é co-criador do Podcast “BurnCast”, o qual é responsável pela edição, pós-produção e roteiro há mais de um ano.

Você pode gostar de:

Mais Posts em:Séries e Tv

2 Comments

  1. Sem falar do final que deu um ar de maturidade a série, diferente de muitas que tornam os princípais quase imortais 😀

  2. eu tbm adorei a serie tomara que tenha a segunda temporada e que nao demore muito!!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.